© José Carlos Carvalho Visão

António Lobo Antunes

BIO (3.ª pessoa)

António Lobo Antunes nasceu em Lisboa, em 1942. Estudou na Faculdade de Medicina de Lisboa e especializou-se em Psiquiatria. Exerceu, durante vários anos, a profissão de médico psiquiatra. Em 1970 foi mobilizado para o serviço militar. Embarcou para Angola no ano seguinte, tendo regressado em 1973. Em 1979 publicou os seus primeiros livros, Memória de Elefante e Os Cus de Judas, seguindo-se, em 1980, Conhecimento do Inferno. Estes primeiros livros transformaram-no imediatamente num dos autores contemporâneos mais lidos e discutidos no âmbito nacional e internacional. Todo o seu trabalho literário tem sido, ao longo dos anos, objeto dos mais diversos estudos, académicos ou não, e dos mais importantes prémios, nacionais e internacionais. A sua obra encontra-se traduzida em inúmeros países.

Obras publicadas: Memória de Elefante, 1979; Os Cus de Judas, 1979, Conhecimento do Inferno, 1980; Explicação dos Pássaros, 1981; Fado Alexandrino, 1983; Auto dos Danados, 1985; As Naus, 1988; Tratado das Paixões da Alma, 1990; A Ordem Natural das Coisas, 1992; A Morte de Carlos Gardel, 1994; Livro de Crónicas, 1995; Manual dos Inquisidores, 1996; O Esplendor de Portugal; 1997; Exortação aos Crocodilos, 1999; Não Entres Tão Depressa Nessa Noite Escura, 2000; Que Farei Quando Tudo Arde?, 2001; Segundo Livro de Crónicas, 2002; Boa Tarde às Coisas Aqui em Baixo, 2003; Eu Hei-de Amar Uma Pedra, 2004; Ontem Não te Vi em Babilónia, 2006; Terceiro Livro de Crónicas, 2006; O Meu Nome é Legião, 2007; O Arquipélago da Insónia, 2008; Que Cavalos São Aqueles Que Fazem Sombra no Mar?, 2009; Sôbolos Rios Que Vão, 2010; Quarto Livro de Crónicas, 2011; Comissão das Lágrimas,  2011; Não é Meia Noite Quem Quer, 2012; Quinto Livro de Crónicas, 2013; Caminho como uma Casa em Chamas, 2014; Da Natureza dos Deuses, 2015; Para Aquela Que Está Sentada no Escuro à Minha Espera, 2016; Até Que as Pedras se Tornem Mais Leves Que a Água, 2017.

Prémios e distinções: 1985 — Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, por Auto Dos Danados; 1996 — Prémio France Culture de Literatura Estrangeira por A Morte de Carlos Gardel; 1997 — Prémio para o Melhor Livro Estrangeiro, França, por Manual dos Inquisidores; 1999 — Prémio da Associação Portuguesa de Escritores por Exortação aos Crocodilos; 1999 — Prémio D. Dinis da Fundação da Casa de Mateus por Exortação aos Crocodilos; 2001 — Prémio Europeu de Literatura, Áustria, por Exortação aos Crocodilos; 2001 — Prémio Rosalía de Castro ; 2003 — Prémio Ovídio, Roménia; 2003 — Prémio  Unión Latina; 2004 — Prémio Fernando Namora por Boa tarde às Coisas Aqui em Baixo; 2005 — Prémio Jerusalém; 2006 — Prémio Iberoamericano de Letras do Chile (Prémio José Donoso); 2007 — Prémio Camões, por O Meu Nome é Legião; 2008 — Prémio FIL de Literatura en Lenguas Romances de México (Prémio Juan Rulfo); 2008 — Prémio Terenci Moix na sua IV Edição dos Prémios Internacionais; 2008 — Prémio Clube Literário do Porto; 2009 – Prémio Extremadura a la Creación; 2010 — Prémio Sociedade Portuguesa de Autores, a melhor ficção narrativa por Que Cavalos são Aqueles que Fazem Sombra no Mar?; 2014 — Prémio Nonino, Itália; 2014 — Prémio Europa da Universidade de Bari Aldo Moro, Itália; 2014 — Prémio de Excelência do Festival da Transilvânia; 2018 — Grande Prémio do Centenário da Reunificação da Roménia; 2018 — Prémio Fundação Bottari Lattes Grinzane, VIII edição.

Condecorações: Grã Cruz da Ordem de Santiago da Espada (2004); Commandeur des Arts et des Lettres (2008).

Doutoramentos honoris causa: Universidade de Constança, Roménia; Universidade de Trás-os-Montes e Alto Minho, Portugal; Universidade de Lisboa (2011), Portugal; Universidade Babes-Bolyai de Cluj (2014), Roménia.

Outras distinções: Convidado de Honra do Festival de Música de Salzburgo; entre Janeiro e Junho de 2011, a sua obra foi objecto de diversas representações teatrais no Thêatre de Bobigny, em Paris; cidadão honorário da cidade de Buenos Aires; professor convidado da Universidade de Buenos Aires; cátedra António Lobo Antunes na Universidade de Milão.

Colóquios: colóquio internacional «A Escrita e o Mundo em António Lobo Antunes», Universidade de Évora, 2002, organização de Eunice Cabral, Carlos J. F. Jorge, Christine Zurbach, e comissão de honra com Cleonice Berardinelli (Rio de Janeiro), Gerald Gillespie (Stanford), Reginald Amoono (Harare), Yves Chevrel (Paris IV Sorbonne), Anthony Disney (Melbourne), Eugene Eoyoung (Hong Kong, Bloomington, Indiana), Óscar Lopes (Porto); colóquio internacional «António Lobo Antunes et le livre total: voies d’approche», 5 e 6 de abril de 2007, Université de la Sorbonne Nouvelle, com direção científica de Catherine Dumas; colóquio internacional «António Lobo Antunes: A arte do romance», Universidade de Lisboa, 30 de junho de 2009, organização do Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; «Facts and Fictions of António Lobo Antunes», Center for Portuguese Studies and Culture, University of Massachusetts, Dartmouth, USA, 2011, organização de Victor K. Mendes.

18:30H | António Lobo Antunes conversa com Laura Restrepo

Programa Literário 26 novembro

Auditorio Juan Rulfo | Entrevista

Convidados: António Lobo Antunes

Moderação: Laura Restrepo


18:00H | Entrevista a António Lobo Antunes, com leituras de Juan Rulfo

Programa Literário Dia 27 novembro

Pavilhão de Portugal | Entrevista

Convidado: António Lobo Antunes

Moderação: Jerónimo Pizarro


×