© Daniel Costa Neves

Dead Combo

BIO

A música dos Dead Combo é o resultado das influências e vivências do grupo.

Sem letras nem palavras, o duo composto por Tó Trips e Pedro Gonçalves soa à claridade do Tejo, Lisboa, Portugal e Mediterrâneo, a África e ao deserto dos Estados Unidos, à Itália imaginada nos westerns de Morricone filmada por Wim Wenders e interpretada por Ry Cooder. Para poder representar estas paisagens é necessário encontrar um som: neste caso uma guitarra e um contrabaixo com uma certa bagagem rock’n’roll e de anos dedicados à música atravessando continentes, recolhendo o fado e o blues numa mesma canção.

Em 2003, Tó Trips e Pedro Gonçalves conhecem-se graças ao convite de Henrique Amaro (Antena 3) para tocar num álbum de homenagem a Carlos Paredes, uma figura fundamental da guitarra portuguesa. São dois personagens: um gangster e um coveiro que saem de um livro de banda desenhada para dar concertos poderosos e muito impactantes visualmente.

Depois de oito álbuns, muitos concertos e aventuras acabam de lançar um novo disco, intitulado Hotel Odeon, produzido por Alain Johannes (Queen Of Stone Age, PJ Harvey, Chris Cornell, etc.). Este é o mais recente capítulo de um dos mais bonitos e singulares projectos musicais nascidos em Portugal na última década.

×