© Direitos Reservados

Eloy Rodrigues

BIO (3.ª pessoa)

Eloy Rodrigues licenciou-se em História, variante em Arqueologia, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, e concluiu o Curso de Especialização em Ciências Documentais, opção de Biblioteca e Documentação, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho desde 2002. Em 2003, liderou a criação do RepositoriUM — o repositório institucional da Universidade de Minho. Desde julho de 2008 lidera a equipa da Universidade do Minho que desenvolve o projecto Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal. Ao nível europeu, é membro do EUA Expert Group on Science 2.0/Open Science em representação do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), e tem coordenado a participação da Universidade do Minho em mais de uma dezena de projetos (entre as quais se destacam os projetos OpenAIRE,  FOSTER e FOSTERPlus, de que é coordenador) financiados pela UE. Foi eleito em abril de 2015 como Presidente do Conselho Executivo da Confederation of Open Access Repositories (COAR), para o mandato de 2015 a 2018, e reeleito em maio de 2018 para o mandato de 2018 a 2021. É membro do Grupo de Trabalho – Política Nacional de Ciência Aberta, criado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal. Na última década participou em mais de meia centena de palestras, seminários e outras ações de divulgação ou formação sobre o acesso aberto e a ciência aberta na Europa (Portugal, Espanha, Reino Unido, República Checa, Alemanha, Itália, França, Bulgária, Turquia, Bélgica, Hungria, Holanda, Malta), em África (Moçambique, África do Sul e Etiópia), na América (Brasil, Argentina, Colômbia, México, Chile, Peru, Costa Rica, Cuba e Estados Unidos), na Ásia (China e Japão) e na Oceânia (Austrália).

Anteriormente, o percurso profissional de Eloy Rodrigues esteve focado no impacto das tecnologias de informação nas bibliotecas (tendo sido membro do Grupo de Trabalho das Bibliotecas Digitais da Missão para a Sociedade da Informação em 1997), bem como na formação de utilizadores e profissionais de biblioteca. Passou também por colaborações relacionadas com as bibliotecas públicas, tendo sido membro do Grupo de Trabalho sobre as Bibliotecas Públicas Portuguesas, nomeado pelo Ministro da Cultura em 1995. É autor de dezenas de publicações (artigos, livros, capítulos de livros e comunicações) sobre os temas em que tem trabalhado.

×