© Gonçalo Rosa da Silva

Gonçalo M. Tavares

BIO (3.ª pessoa)

Gonçalo M. Tavares nasceu em 1970. Desde 2001 publicou livros em diferentes géneros literários, traduzidos em mais de 50 países. Os seus livros receberam vários prémios em Portugal e no estrangeiro.

Com Aprender a Rezar na Era da Técnica recebeu o Prix du Meilleur Livre Étranger 2010 (França), prémio atribuído antes a Robert Musil, Orhan Pamuk, John Updike, Philip Roth, Gabriel García Márquez, Salman Rushdie, Elias Canetti, entre outros.

Alguns outros prémios internacionais: Prémio Portugal Telecom 2007 e 2011 (Brasil), Prémio Internazionale Trieste 2008 (Itália), Prémio Belgrado 2009 (Sérvia), Grand Prix Littéraire du Web – Culture 2010 (França), Prix Littéraire Européen 2011 (França).

Foi por diferentes vezes finalista do Prix Médicis e Prix Femina.

Uma Viagem à Índia recebeu, entre outros, o Grande Prémio de Romance e Novela APE 2011.

Os seus livros deram origem, em diferentes países, a peças de teatro, dança, peças radiofónicas, curtas-metragens e objetos de artes plásticas, dança, vídeos de arte, ópera, performances, projetos de arquitetura, teses acadêmicas, etc. – bem como a inúmeras traduções.

BIO (1.ª pessoa)

a força

Nunca vi anjos nem aprendi orações

Como aprendi versos, mas desde cedo uma

Certa conspiração calma recolhida na parte

De trás da existência me foi dando

Conselhos, monocórdicos, pontuais;

Uma força constante que

Afastada dos dias e do seu ruído próprio

Me acompanhou. Nada de religioso, nenhum Deus,

Nenhum temor, nenhuma adoração,

Chamemos à coisa: disciplina. E assim está bem.

O mundo avança e acontecem coisas,

E o meu corpo recolhe-se e faz o que tem a fazer.

 

as frases

Do meu pai recebi desde menino uma imprudente

Forma de receber as frases que nos dizem: não esperar

Por elas numa cadeira, mas saltar em redor, eis

Um método que não era método porque era instinto:

Ouvir a frase de todos os pontos de vista,

Como se a linguagem depois de dita

Fosse uma matéria que permanecesse no ar,

E nós, animais representantes do diabo, à sua volta,

Tornássemos visível o que ela queria esconder:

A frase tentava exibir o rosto bem maquilhado

E nós apontávamos a sua roupa íntima,

As borbulhas deselegantes, a sua fealdade e a sua falsidade.

18:00H | Entrevista a Gonçalo M. Tavares

Programa Literário Dia 24 novembro

Pavilhão de Portugal | Entrevista

Convidados: Gonçalo M. Tavares

Moderação: Ingrid Bejerman


19:30H | A literatura continua (O mundo depois de Saramago)

Programa Literário Dia 25 novembro

Pavilhão de Portugal | Conversa

Convidados: Gonçalo M. Tavares / Ondjaki / Pilar del Rio / Jorge Volpi

Moderação: Jorge Volpi


16:00H | Apresentação de livros de Gonçalo M. Tavares

Programa profissional Dia 26 novembro

Pavilhão de Portugal | Apresentação

Convidados: Gonçalo M. Tavares / Gerardo González / Gustavo Cruz Cerna / Maria Alzira Brum / Paula Abramo


×