© Homem Cardoso

Teolinda Gersão

BIO (3.ª pessoa)

Teolinda Gersão nasceu em Coimbra, estudou Germanística, Romanística e Anglística nas Universidades de Coimbra, Tübingen e Berlim, foi Leitora de Português na Universidade Técnica de Berlim, assistente na Faculdade de Letras de Lisboa e, depois de provas académicas, professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde ensinou Literatura Alemã e Literatura Comparada.

Além da permanência de três anos na Alemanha, viveu dois anos em São Paulo, Brasil, e conheceu Moçambique, onde decorre o romance de 1997 A Árvore das Palavras.

Autora sobretudo de romances, publicou coletâneas de contos (Histórias de Ver e Andar, A Mulher Que Prendeu a Chuva e Prantos, Amores e Outros Desvarios).

Quatro dos seus textos foram adaptados ao teatro e encenados em Portugal, Alemanha e Roménia.

Três dos contos deram origem a curtas metragens (por Simão Cayatte e Pedro Sarrazina).

Recebeu alguns dos mais importantes prémios literários do seu país (entre os quais, por duas vezes, o Prémio de Ficção do Pen Club, o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco, o Prémio Máxima de Literatura, os Prémios de Ficção das Fundações Inês de Castro e António Quadros, o Prémio Fernando Namora e o Prémio Vergílio Ferreira; foi ainda finalista do Prémio Europeu de Romance Aristeion e recebeu o Marquis Lifetime Achievement Award).

Foi escritora-residente na Universidade de Berkeley em 2004.

Está traduzida em catorze países e representada nas antologias: New Sudden Fiction — Best Short Stories from America and Beyond; Take Six, Portuguese short-stories; Gendaikikakushitsu Publishers, 2018; Lisbon Tales; Best European Fiction. Está presente em dicionários como: Dicionário de Literatura Portuguesa; BIBLOS, Enciclopédia Verbo de Literaturas de Língua Portuguesa; Dicionário de Literatura; Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, vol. III; Chronology of Portuguese Literature 1128-2000; Guide to Women’s Literature Throughout the World,  2000 Outstanding Writers of the 20th Century;  International Authors and Writers Who’s Who, 17th; Marquis Who’s Who in the World; Dictionary of Literary Biography – Portuguese Writers, vol. 287.

BIO (1.ª pessoa)

Sempre quis ser escritora, e publiquei um primeiro livro aos catorze anos (que não incluo na minha bibliografia). Comecei a publicar regularmente em 1981, e os  livros que escrevo não envelhecem comigo. Como escreveu um crítico sobre o meu livro de estreia: «A receção crítica foi triunfal e afinou pelo tom superlativo da consagração. Doze anos depois, grande era o risco de se ter tornado um objeto cristalizado e enfraquecido. Mas venceu essa prova de fogo e chega-nos intacto.»

Sou versátil, escrevo romances, contos e livros que escapam a classificações, porque são aventureiros e experimentais: vejo-os como uma espécie de diários heterodoxos, em que «eu» estou e não estou, e a que chamo Cadernos.

A minha escrita é muito visual e facilmente adaptável a teatro e cinema, o que acontece com frequência.

Ganhei os principais prémios literários portugueses, fui finalista do Prémio Europeu de Romance Aristeion e recebi o Marquis Lifetime Achievement Award.

Fui escritora residente na Universidade de Berkeley, estou traduzida em catorze países, mas espero vir a estar noutros, desde logo no México, país que nos deu grandes escritores como Álvaro Mutis, que cheguei a conhecer e de quem fui amiga.Tenho um site e, se me quiserem encontrar no Facebook, serão bem-vindos.

11:00H | Entrevista a Teolinda Gersão

Programa Literário 1 Dezembro

Pavilhão de Portugal | Entrevista |

Convidados: Teolinda Gersão

Moderação: Pedro Serra


×