© Porto Editora

Valter Hugo Mãe

BIO (3.ª pessoa)

Valter Hugo Mãe é um dos mais destacados autores portugueses da atualidade. A sua obra está traduzida em variadíssimas línguas, merecendo um prestigiado acolhimento em países como o Brasil, a Alemanha, a Espanha, a França ou a Croácia. Publicou sete romances: Homens imprudentemente poéticos; A desumanização; O filho de mil homens; a máquina de fazer espanhóis (Grande Prémio Portugal Telecom Melhor Livro do Ano e Prémio Portugal Telecom Melhor Romance do Ano); o apocalipse dos trabalhadores; o remorso de baltazar serapião (Prémio Literário José Saramago) e o nosso reino. Escreveu alguns livros para todas as idades, entre os quais: Contos de cães e maus lobos, O paraíso são os outros; As mais belas coisas do mundo e O rosto. A sua poesia encontra-se reunida no volume publicação da mortalidade. Publica a crónica Autobiografia Imaginária no Jornal de Letras.

BIO (1.ª pessoa)

Julgo que comecei a escrever pelo que me faltava. As palavras, com suas ilusões, eram as presenças possíveis, as pessoas e as coisas, as viagens e o tempo todo. Talvez hoje não seja diferente. Escrevo porque a incompletude que nos caracteriza não me apazigua. Certamente não conseguirei mais do que voltar a iludir-me, mas já a realidade parece sustentar-se em muita aparência e mentira. Uso, sim, a literatura. Modo de conhecimento. Meus romances, meus poemas, são modos de conhecer. Meditações, como conversas por dentro de mim.

19:30H | Entrevista a Valter Hugo Mãe

Programa Literário 1 Dezembro

Pavilhão de Portugal | Entrevista |

Convidados: Valter Hugo Mãe

Moderação: Pablo Raphaël


×